A famosa receita francesa de Boeuf Bourguignon em uma versão vegana e abrasileirada 😉

 Quem já assistiu o filme “Julie e Julia”, viu a Julie se descabelar pra preparar um Boeuf Bourguignon que estava descrito no livro de Julia Child (Arte da Culinária Francesa) como: “Certamente um dos pratos mais deliciosos inventados pelo homem.”
O Boeuf Bourguignon é um ensopado de carne de vaca cozida em vinho tinto com alguns vegetais e condimentos, cozido lentamente para o vinho impregnar todos os ingredientes. O prato tem esse nome (que eu não consigo, de jeito nenhum, pronunciar 😛 – seguidores do snapchat são testemunhas), porque é um prato típico da região de Borgonha – que produz vinhos muito famosos.

A receita que vou passar pra vocês, foi uma adaptação da que aprendi com o Chef Rafael Rupp, que me apaixonei e reproduzi algumas – muitas – vezes, até chegar em uma que tivesse mais “a minha carinha”.

Como tinha combinado de encontrar o Jack, um amigo que também adora cozinhar, e ele é o enólogo oficial da turma hahaha achei que ele ia gostar desse prato, então eu fiz esse pra ele, e ele fez um outro, delicioso, pra mim – que vamos postar logo menos.
De manhã fui à feira de orgânicos no Passeio Público aqui em Curitiba, e comprei alguns dos ingredientes bem fresquinhos 🙂 E se quer saber uma verdade, SIM, os orgânicos fazem toda a diferença em pratos assim pois tem o sabor muito melhor. Não tinha tudo que eu precisava, então mudei uns legumes daqui, uns temperinhos de lá e, voilá!

Apesar da receita ser bem flexível e nos permitir muitas mudanças, tem uma coisinha, bem pequenininha, que faz toda a diferença: tofu defumado. Uma dia, minha amiga Flavia ressaltou isso enquanto cozinhava o mesmo prato e, de fato, testei sem o bendito tofu defumado e nhé, ficou meio sem graça (pro meu paladar, pode ser que pro seu, fique legal 🙂 ). 
Em todo caso, se você não tiver em casa, ou não encontrar, você pode tentar com qualquer outro ingrediente defumado, talvez dê certo. No meu, usei o Tofu Defumado em Pó que a Fla me indicou. É mais barato, dura mais e rende mais, além de ser ótimo pra quem não curte muito a textura do tofu.

Tofus à parte, os temperos também são bem importantes aqui. Você pode fazer um Bouquet Garni pra conseguir retirar as folhas mais facilmente depois que o prato estiver pronto, mas eu coloquei tudo soltinho mesmo, já que não me incomodo com pedacinhos em meio às garfadas 🙂

Você deve estar pensando: até aí, tudo bem, mas onde está a parte “brasileira” da receita? Bom, está no jeitinho 😛 Como usei ingredientes da feira orgânica, eram todos regionais e da estação. Pra engrossar o caldinho, usei biomassa de banana verde. Além disso, a receita que o Jack estava preparando levava pinhão, então resolvi acrescentar alguns ao meu prato, e não é que ficou bom? Finalizei com castanhas de caju torradas e o sabor ficou mágico ♥

COGUMELO BOURGUIGNON
Rendimentos 6
A famosa receita francesa de Boeuf Bourguignon em uma versão vegana e abrasileirada ♥
Dê uma nota!
Imprimir
Tempo de Preparação
20 min
Tempo de Cozimento
30 min
Tempo Total
50 min
Tempo de Preparação
20 min
Tempo de Cozimento
30 min
Tempo Total
50 min
Ingredientes
  1. 2 colheres de sopa de azeite
  2. 1 cebola
  3. 3 dentes de alho
  4. 1 alho poró
  5. 1 cenoura grande
  6. 1/3 de abóbora cabotiá pequena
  7. 1 batata doce pequena
  8. 1/2 couve flor pequena
  9. 3 tomates picadinhos
  10. 300gr de cogumelos (usei Paris)
  11. 2/3 garrafa de vinho tinto seco (pode ser menos, ou mais, depende do seu gosto)
  12. 1 xícara de água
  13. 1/2 xícara de pinhão cozido e descascado
  14. 1/2 xícara de biomassa de banana verde (opcional)
  15. Bouquet Garni preparado com: Sálvia, tomilho, coentro, orégano, e salsa (ou ervas de sua preferência)
  16. Aproximadamente 1 colher de chá de Tofu Defumado em Pó
  17. Sal e pimenta do reino a gosto
  18. Castanhas do Caju a gosto (tostadinhas, de preferência)
  19. Salsinha para finalizar
Instruções
  1. Lave bem todos os ingredientes e corte os legumes em cubinhos do tamanho que preferir
  2. Em uma panela grande e em fogo baixo, coloque o azeite e adicione a cebola cortada em cubinhos e o alho poró. Deixe até dourar, mexendo de vez em quando para não queimar
  3. Quando estiverem douradinhos, coloque o alho
  4. Adicione a cenoura, a batata e a abóbora e misture por mais ou menos 1 minuto para pegar o tempero.
  5. Deixe que os legumes fiquem bem refogadinhos, até grudar um pouco no fundo da panela (essa crosta é que vai dar sabor ao caldo)
  6. Acrescente a couve flor, adicione o vinho tinto e deixe cozinhar até reduzir pela metade
  7. Depois, adicione a água e a biomassa de banana verde. Misture bem até diluir tudo.
  8. Coloque os cogumelos fatiados, o pinhão e os tomates.
  9. Polvilhe o Tofu defumado e jogue Bouquet Garni, misturando para que fique bem imerso.
  10. Acerte o sal e a pimenta do reino.
  11. Deixe cozinhar até os cogumelos e as batatas estiverem macios.
  12. Sirva e finalize com a salsinha e as castanhas. 🙂
Observações
  1. Cogumelos são como esponjas, eles absorvem todo o sabor do líquido em que estão em contato. Por isso, aqui, acrescentamos eles somente no finalzinho da receita, que é pra que eles não percam tanto o seu sabor, que também é delicioso.
  2. Nesse prato a biomassa, além de agregar nutrientes, é usada para deixar o caldo mais grosso. Se você não tem costume de usar, pode substituí-la por algum amido (mais batatas, por exemplo, talvez mandioca, ou alguma farinha), ou simplesmente não usar nenhum espessante.
  3. A abóbora, além de saborosa, é usada pra dar mais cremosidade ao prato. Se eu fosse você, não deixaria de usá-la 😉
  4. A salsinha foi usada somente na hora de servir pois, ao esquentá-la no caldo, ela acaba perdendo o sabor.
Flor de Sal http://flordesal.blog.br/
Vale lembrar que essa foi a receita que mais agradou o meu paladar. Aí na sua casa, você pode experimentar acrescentar ou tirar alguns ingredientes. Na cozinha, não existe certo ou errado, existe o saboroso 😉 
Ah, e apesar de parecer uma receita super elaborada, ela é muito fácil de preparar e você vai surpreender a todos. É realmente deliciosa!
Se gostou, se fez a receita, ou tem alguma dúvida, deixe um comentário que vou adorar ouvir seu feedback. 🙂

Apesar da receita ser bem flexível e nos permitir muitas mudanças, tem uma coisinha, bem pequenininha, que faz toda a diferença: tofu defumado. Uma dia, minha amiga Flavia ressaltou isso enquanto cozinhava o mesmo prato e, de fato, testei sem o bendito tofu defumado e nhé, ficou meio sem graça (pro meu paladar, pode ser que pro seu, fique legal 🙂 ). 
Em todo caso, se você não tiver em casa, ou não encontrar, você pode tentar com qualquer outro ingrediente defumado, talvez dê certo. No meu, usei o Tofu Defumado em Pó que a Fla me indicou. É mais barato, dura mais e rende mais, além de ser ótimo pra quem não curte muito a textura do tofu.

Eu sou a Gabi ? Sou arquiteta urbanista e metida a cozinheira! Desde que resolvi entrar no mundo do esporte, mudei minha alimentação e, consequentemente, meu olhar sobre o mundo e sobre o meu corpo. Hoje sou maratonista, me locomovo principalmente de bike, não consumo carne há três anos, intolerante à lactose, e vivo inventando moda na cozinha, onde aprendo muito todo dia ❤

Pin It on Pinterest

Share This