O que são os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e o que nós temos a ver com isso?

Em todas as palestras que dou percebo que quando falo sobre minha ida para o Unleash Lab na Dinamarca (leia sobre isso aqui) para discutir e idealizar projetos acerca dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, a maioria das pessoas não entende muito bem e nem sabe o que são ao certo esses objetivos, por quê foram criados, como eles nos afetam, e o que temos a ver com isso. Por isso, e sabendo a importância desse assunto, resolvi fazer esse post ♥

Que o mundo está vivenciando um caos, nós já sabemos! Basta ligar a TV pra se deparar com as mais diversas (tristes) realidades. Mas quando pensamos no amanhã, no que queremos vivenciar no nosso futuro, geralmente pensamos em coisas boas: sucesso profissional, realização pessoal, e viver em uma realidade mais pacífica, segura e igualitária para todos.

Já parou pra pensar que nós fazemos parte da construção dessa sociedade que queremos vivenciar? Que cada uma das nossas escolhas de hoje vai ditar o que será do amanhã? E então, o que podemos fazer a respeito? Não precisamos de superpoderes para fazer algo bom ou mudar o mundo. A única coisa necessária é o desejo de fazer a diferença e essa vontade é o que mais precisamos no momento.

Com o desenvolvimento da indústria, a ascensão do capitalismo e dos bens de consumo, começamos a explorar indiscriminadamente os recursos ambientais, sem pensar nas possíveis consequências. Agora, vivemos em um mundo com altos índices de depressão, doenças, poluição, desmatamento, escassez de recursos, aquecimento global, ecossistemas em degradação e o pior: vivemos (e construímos) a 6ª extinção em massa da história do mundo.

Por esses e outros motivos, líderes dos 193 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovaram, em setembro de 2015, um plano global de desenvolvimento sustentável, com o objetivo de melhorar os indicadores econômicos, sociais e ambientais para a nossa e para as próximas gerações: a Agenda 2030, um compromisso composto por 169 metas distribuídas em 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) a serem alcançados pelos países até o ano de 2030, resultante de um processo que foi iniciado com o estabelecimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na Rio+20, realizada em junho de 2012 no Brasil.

“Cada objetivo e suas respectivas metas abordam aspectos diferentes que convergem pelo fato de serem essenciais para a viabilidade de uma sociedade sustentável. Todos os países membros da ONU assinaram a agenda 2030 e agora têm que arcar com o compromisso de alcançar as metas dos 17 objetivos.”

Olha eu na sede da ONU na Dinamarca aí embaixo! Sério, foi uma experiência sem igual ♥

MAS O QUE É DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL?

Pode-se chamar de desenvolvimento sustentável aquele que atende às necessidades da geração atual sem comprometer a existência das gerações futuras. Ou seja, toda decisão tomada hoje deve levar em consideração as consequências que ela acarretará e medir se essas consequências podem, de alguma forma, piorar o panorama do mundo atual e/ou futuro.

Para isso é importante verificar se, quando fazemos uma escolha baseada em um determinado ODS, não estamos por consequência, agravando um outro ODS. Por exemplo: se eu decido desenvolver um produto que vai ajudar a produzir mais alimentos para atender à ODS 2 (erradicação da fome), mas esse mesmo produto acaba por usar quantidades absurdas de água para ser produzido e/ou utilizado, vamos consequentemente agravar a ODS 6 (água limpa e saneamento) e a ODS 12 (consumo responsável). E aí vale colocar na balança – será que vale mesmo a pena?  A melhor coisa a se fazer antes de elaborar qualquer projeto é pensar de forma holística: Que áreas meu projeto/atitude impacta? O saldo é positivo ou negativo? Como posso melhorá-lo para que não gere nenhum impacto negativo?

OS 17 OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Tanto falamos deles que chega a hora de conhecermos quais são os famosos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU (e que não são só responsabilidades da ONU, mas nossas também) 🙂 Tentei resumir ao máximo, mas você pode acessar esse site AQUI pra saber mais sobre (super indico 😉 )

ACABAR COM A POBREZA EM TODAS AS SUAS FORMAS, EM TODOS OS LUGARES – Segundo a ONU, a erradicação de todas as formas de pobreza é um dos maiores desafios para o desenvolvimento sustentável. Por isso, uma das metas desse ODS é que os países façam parcerias para que gerem/mobilizem recursos para a criação de programas e políticas para acabar com a pobreza em todos os sentidos e pra que a população vulnerável possa ter condições mínimas de sobrevivência.

MELHORAR A QUALIDADE NUTRICIONAL,  PROMOVER A AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E ALCANÇAR A SEGURANÇA ALIMENTAR EM TODO O PLANETA –  De acordo com relatórios da ONU, cerca de 12,9% da população dos países em desenvolvimento é subnutrida. Na Ásia, 65% da população passa fome, enquanto na África Subsaariana uma em cada quatro pessoas está subnutrida. Mais de 3 milhões de crianças abaixo de cinco anos de idade morrem por causa da desnutrição, e isso não quer dizer que essas crianças não se alimentam, mas aquelas que tem o que comer, comem muito pouco e alimentos sem nenhum valor nutritivo.

GARANTIR A VIDA SAUDÁVEL E BEM-ESTAR À POPULAÇÃO – Entre as metas do Objetivo 3 da Agenda 2030, estão a redução da mortalidade neonatal, da obesidade e a erradicação de doenças como o HIV, a tuberculose e a malária, mas também estão coisas super importantes como a conscientização quanto ao uso de álcool e drogas e o esclarecimento cada vez maior em torno da saúde mental e da importância do bem-estar psicológico e físico, que são coisas que conversamos muito por aqui no blog! Acredito que a saúde tem 3 pilares muito importantes: a física, a mental e a espiritual ♥

GARANTIR A EDUCAÇÃO INCLUSIVA, EQUITATIVA E DE QUALIDADE – Esse objetivo visa promover a aprendizagem em todas as fases da vida, e uma de suas metas é garantir que a educação seja viável para todos, sem discriminação de gênero. Embora a situação venha melhorando, ainda existem mais de 50 milhões de crianças fora da escola, principalmente em países marcados por conflitos civis e em situação de extrema pobreza, e, não surpreendentemente, a maior parte delas são meninas.

ALCANÇAR A IGUALDADE DE GÊNERO E EMPODERAR TODAS AS MULHERES E MENINAS – Esse objetivo está no centro das discussões atuais da sociedade (amém hehe). Uma de suas principais metas é erradicar todas as formas de violência contra meninas e mulheres, e viabilizar que elas recebam os mesmos incentivos e oportunidades educacionais, profissionais e de participação política que meninos e homens, e também o igual acesso a serviços de saúde e segurança.

ASSEGURAR A DISPONIBILIDADE E GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ÁGUA E SANEAMENTO PARA TODOS – Apesar de este ser uma panorama que está “longe” dos nossos olhos, segundo a ONU, mais de 40% da população mundial já sofre com a escassez de água. Pra que todas as pessoas tenham acesso à água potável, a Agenda 2030 tem como meta uma gestão mais responsável dos recursos hídricos, incluindo a proteção dos ecossistemas relacionados à água, como rios e florestas. Você já parou pra refletir quanta água é necessária para produzir as coisas que você compra? Se ainda não, pare alguns minutos e pesquise, você vai ficar chocada com o tamanho da nossa responsabilidade como indivíduo em relação à esse ODS!

ASSEGURAR O ACESSO CONFIÁVEL, SUSTENTÁVEL, MODERNO E A PREÇO ACESSÍVEL À ENERGIA, PARA TODOS – Atualmente, mais de 15% da população mundial não tem acesso à eletricidade, e não é só importante que essas pessoas tenham acesso, mas que a energia fornecida também seja limpa e barata, pra que sua produção não impacte negativamente o meio ambiente e pra que seja acessível! O mundo está cada vez mais “tecnológico” (leia mais sobre a 4ª revolução industrial aqui) e o não acesso à energia certamente vai acentuar a desigualdade. 

PROMOVER O CRESCIMENTO ECONÔMICO, INCLUSIVO E SUSTENTÁVEL, EMPREGO PLENO E PRODUTIVO, E TRABALHO DECENTE PARA TODOS – Violações aos direitos trabalhistas como o trabalho escravo ainda são uma realidade, o desemprego é crescente, e afeta principalmente os jovens sem formação. Pra mudar esse cenário, uma das metas dessa ODS é apoiar “o empreendedorismo, criatividade e inovação, e incentivar a formalização e o crescimento das micro, pequenas e médias empresas, inclusive por meio do acesso a serviços financeiros”.

INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL E INCLUSIVA – Cada posto de trabalho gerado pelo setor industrial resulta em mais dois empregos em outros segmentos. Para que esse objetivo seja alcançado, a Agenda 2030 prevê entre suas metas que os países aumentem os incentivos para as pesquisas científicas, o acesso à internet e também que as novidades tecnológicas de produção possam chegar mais facilmente (e mais barato) às pessoas, isso possibilita que os países de menor desenvolvimento tenham um crescimento na sua capacidade produtiva. (Lembrando que não é sobre produzir indiscriminadamente mais, mas com o objetivo de descentralizar a produção e geração de renda, e sempre com responsabilidade socioambiental)

REDUZIR A DESIGUALDADE DENTRO DOS PAÍSES E ENTRE ELES – Aqui o foco está em promover uma melhor distribuição de renda dentro das nações, romper com os privilégios comerciais de nações ricas em relação às mais pobres e estreitar os laços entre as pessoas que ocupam os territórios do planeta, sejam elas nativas ou imigrantes. A xenofobia é um problema grave, causador de diversas violências, e que faz com que várias pessoas se vejam marginalizadas e com menos oportunidades somente por serem de um território ou etnia diferente.

TORNAR AS CIDADES E OS ASSENTAMENTOS HUMANOS INCLUSIVOS, SEGUROS, RESILIENTES E SUSTENTÁVEIS –
Segundo a ONU, até 2030, haverá em todo mundo 41 megalópoles com mais de 10 milhões de habitantes. Porém, o ritmo atual de ocupação urbana, além de não ser inclusivo, pois nem todas as pessoas têm acesso à moradia, é extremamente desorganizado, o que faz com que nem todas as pessoas estejam alocadas em espaços inadequados, seja por serem áreas de risco de desabamentos e alagamentos, seja por sofrerem com a falta de saneamento básico, iluminação, entre outras condições de infraestrutura. Por isso, uma das metas da Agenda 2030 é que todos os países viabilizem uma urbanização inclusiva e sustentável, e a capacidade para o planejamento e a gestão participativa, integrada e sustentável dos assentamentos humanos, em todos os países

ASSEGURAR PADRÕES DE PRODUÇÃO E DE CONSUMO SUSTENTÁVEIS – No ritmo atual, consumimos muito mais recursos naturais do que deveríamos, e mais do que o planeta consegue sustentar a longo prazo. Isso tem como consequência o fato de que, nos próximos anos, poderemos sofrer não só com a já temida falta de água, mas também com a falta de outros recursos, como alimentos, minerais, energia, etc. Pensando nisso, a Agenda 2030 estabelece como uma das metas “reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso”

TOMAR MEDIDAS URGENTES PARA COMBATER A MUDANÇA DO CLIMA E SEUS IMPACTOS – Apesar de termos conseguido avanços importantes na preservação do planeta, como frear o aumento do buraco na camada de ozônio, ainda estamos com um desempenho negativo em outras tarefas, como o aumento do desmatamento e da poluição do ar, o que tem influência direta no aquecimento do planeta. De acordo com a ONU, se medidas não forem tomadas, a temperatura global poderá aumentar em até 3 graus até o fim do século 21. Por isso, uma das metas da Agenda 2030 é aumentar os investimentos dos países no desenvolvimento de tecnologias que permitam reduzir o desgaste do planeta.

CONSERVAR E USAR SUSTENTAVELMENTE OS OCEANOS, OS MARES E OS RECURSOS MARINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – De acordo com a ONU, até 2050 haverá mais lixo no oceano, que animais :/ hoje já existem 13 mil pedaços de plástico em cada quilômetro quadrado do oceano e, só no Oceano Pacífico, 40% do lixo marítimo provém da prática da pesca (por isso sua alimentação tem muito a ver com sustentabilidade). Isso é muito grave! Mostra muito como os países têm sido displicentes quanto à preservação dos recursos marinhos. Por isso, uma das metas desse ODS é aumentar a conscientização quanto à poluição dos oceanos. Ah, a Agenda 2030 também prevê que, 2020 – isso mesmo, 2020! -, haja o fim de todas as práticas ilegais de pescaria que prejudicam o ecossistema marinho.

PROTEGER, RECUPERAR E PROMOVER O USO SUSTENTÁVEL DOS ECOSSISTEMAS TERRESTRES, GERIR DE FORMA SUSTENTÁVEL AS FLORESTAS, COMBATER A DESERTIFICAÇÃO, DETER E REVERTER A DEGRADAÇÃO DA TERRA, E DETER A PERDA DE BIODIVERSIDADE – Nos últimos anos, vários desastres ambientais têm ocorrido em diversas regiões do planeta, estamos vivendo a 6ª extinção em massa, acontecem vazamentos de substâncias químicas, incêndios, entre outras coisas. Por isso, uma das metas do Objetivo 15 da Agenda 2030 é aumentar a mobilização para reverter as consequências dessas degradações e também para prevenir novos desastres.

PROMOVER SOCIEDADES PACÍFICAS E INCLUSIVAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, PROPORCIONAR O ACESSO À JUSTIÇA PARA TODOS E CONSTRUIR INSTITUIÇÕES EFICAZES, RESPONSÁVEIS E INCLUSIVAS EM TODOS OS NÍVEIS – As instituições Executivas, Legislativas e Judiciárias também são um dos alvos da Agenda 2030. Em seu Objetivo 16, a Agenda prevê que os países combatam a corrupção, a impunidade, as práticas abusivas e discriminatórias, a tortura, bem como todas as formas de restrição das liberdades individuais.

FORTALECER OS MEIOS DE IMPLEMENTAÇÃO E REVITALIZAR A PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL -Para que todos esses objetivos se tornem realidade, é importante que haja relações de parceria e cooperação entre as nações. Por isso, os países em melhores condições financeiras são orientados a ajudar os “países em desenvolvimento a alcançar a sustentabilidade da dívida de longo prazo, por meio de políticas coordenadas destinadas a promover o financiamento, a redução e a reestruturação da dívida, conforme apropriado, e tratar da dívida externa dos países pobres altamente endividados para reduzir o superendividamento”

Eu sou a Gabi ? Sou arquiteta urbanista e metida a cozinheira! Desde que resolvi entrar no mundo do esporte, mudei minha alimentação e, consequentemente, meu olhar sobre o mundo e sobre o meu corpo. Hoje sou maratonista, me locomovo principalmente de bike, não consumo carne há três anos, intolerante à lactose, e vivo inventando moda na cozinha, onde aprendo muito todo dia ❤

Pin It on Pinterest

Share This