Cozinhar vai muito além do simples fato de preparar alimentos para saciar a fome. Cozinhar é um ato revolucionário! É química, é amor, é dom, é bom senso, é experimentação e principalmente é cuidar da saúde (sua e dos que te rodeiam), do seu bem-estar e sua qualidade de vida. E muita gente não sabe mas as especiarias tem muitos nutrientes e além de ser responsável pelo sabor marcante da sua comida, pode super dar uma mãozinha pra manutenção da sua saúde. 🙂

Resolvi fazer esse post porque vejo que o que mais atrapalha as pessoas que estão em busca de uma alimentação saudável é não encontrar prazer nas refeições. Em geral, as comidas saudáveis que a gente encontra por aí não tem muito sabor, e de vez em quando falta criatividade na cozinha na hora preparar comidas mais nutritivas. Em busca de sabor, muita gente acaba usando desenfreadamente temperos industrializados. Você já leu o rótulo deles? Eu não vou ficar fazendo críticas… Da próxima vez que você for ao mercado, leia o rótulo de um e me conte se você consegue identificar todos os ingredientes.

Bom… Estando no mercado ou em alguma loja de produtos naturais, sinta o aroma das especiarias e tempos. Pesquise antes ou converse com o dono do local e tente adaptar os temperos ao seu paladar e da sua família. Orégano, cominho, açafrão, cúrcuma, mostarda, coentro, canela, noz-moscada, pimentas diversas, anis, gengibre… É uma lista gigantesca e tenho certeza de que uma ou a mistura delas vai te agradar.

Uma boa dica é começar a perceber o seu paladar!
Você gosta de mais acidez? Sabores mais terrosos? Pimenta? Agridoce?
Isso vai ajudar muito na hora de decidir o que comprar 🙂

Depois de compradas, chegue em casa e comece a cozinhar experimentando cada especiaria isoladamente ou um mix delas nas suas próximas refeições. O segredo aqui é sempre testar em pequenas porções e usar o bom senso na quantidade, afinal, o tempero deve ressaltar o melhor do sabor da comida e nunca predominar. Se você pretende comer carne, não existe motivo pra sentir gosto apenas de açafrão, por exemplo.

As grandes diferenças de usar especiarias frescas no lugar de temperos industrializados é o sabor explosivo que invadirá seu paladar e a saúde que lhe agradecerá em breve. Temperos industrializados são recheados de conservantes, realçadores de sabor, corantes e até mesmo outros ingredientes que não deveriam estar ali, apenas para baratear a mistura. Sem contar que para pessoas alérgicas ou sensíveis a algum tipo de alimento, são verdadeiras bombas na imunidade.

Quando já tiver feito os testes e descoberto quais sabores mais agradam ao gosto de sua família ou das pessoas com quem divide as refeições, você pode comprar as quantidades certas e já deixar pronto o mix de especiarias que desejar. Basta moer com a ajuda de um pilão ou triturá-los no processador. Com o tempo, garanto que você terá potinhos de temperos muito mais saborosos, saudáveis e exclusivos na sua cozinha. Seu paladar e sua saúde agradecerão!

“A vantagem de ter um mix customizado por você mesmo é que ele vai sair exatamente do jeito que você quer. Além disso, a mistura fica mais fresca do que os temperos prontos comprados na maioria das lojas. Confira algumas dicas para fazer um blend da melhor maneira possível:

Use bons temperos

Experts em temperos vão dizer que, para fazer um blend, você mesmo deve moer as especiarias. Se você tem como fazer isso, ótimo. Mas, realisticamente falando, não tem problema se eles já estiverem moídos – desde que não estejam há muito tempo armazenados, e ainda tenham aromas fortes. Além disso, uma mistura significa que, mesmo que um tempero esteja com sabor ligeiramente mais fraco, ele pode ser ressaltado pelos outros.

Escolha um foco

A primeira pergunta que você deve se fazer é: que gosto eu quero que meu blend tenha? Apimentado? Defumado? Essa dica é de Linda Bernard, gerente na loja de temperos Bazaar Spices, em Washington, nos Estados Unidos. A escolha vai te direcionar sobre qual especiaria vai ser a principal, facilitando a seleção do restante dos temperos. Você também pode escolher a culinária típica de algum local que te dê uma vasta gama de opções, como o masala indiano ou o churrasco americano.

Misture os sabores 

Linda Bernard categoriza as opções em doce, apimentado, salgado ou amargo. Tente pegar pelo menos um tempero de cada um dos grupos para ter um resultado equilibrado. “Não deixe muito apimentado porque a última coisa que você quer é ter a boca amortecida”, avisa Bernard. Alguns temperos podem rapidamente inibir os demais, como alho, gengibre e até mesmo sal. Você deve ter um cuidado especial com sal defumado e o açúcar: adicione apenas o suficiente para complementar o sabor.”

A autora Fabienne Gambrelle, dos livros ‘Spices’, classificou temperos com ajuda do botanista Michel Viard: Primeiro, temos os temperos leves, que podem ser aqueles quase doces ou “aconchegantes”, como diz a autora. Por exemplo, canela, baunilha, cacau, anis, sementes de açafrão e papoula.
Depois, temos os temperos fortes, que tendem a ser aromáticos, como cardamomo, anis-estrelado, noz-moscada, cominho, coentro, açafrão e gengibre. Por último, os temperos “de fogo”, que podem provocar reações vigorosas, como pimentas e mostarda. Manter essas categorias em mente pode ajudar na hora de fazer um mix e não exagerar nos temperos de apenas um dos grupos.

Vá além do tradicional: Não tenha medo de adicionar ervas secas no meio de temperos tradicionais. ”Elas realmente ajudam a ressaltar o sabor”, afirma Bernard, que é particularmente fã de tomilho, orégano e endro. Você também pode arriscar com sementes de café, chá de folhas soltas, nozes e casca de frutas cítricas secas.

Misture tudo e experimente. A recomendação é fazer uma quantidade de pelo menos uma colher de sopa. Quantidades menores que isso ficam difíceis de misturar e dar uma boa noção do que você está fazendo. Até que você prove pela primeira vez, não coloque sal ou coloque apenas uma pequena quantidade. Lembre-se: é muito mais fácil adicionar mais temperos depois do que retirá-los.”

“Prove ao longo do processo para saber como o sabor está evoluindo. A dica é comer com pão e azeite de oliva para não ter que provar a mistura seca. Também tenha em mente de que forma o blend será usado. Se for do lado externo de uma carne, por exemplo, ou diluído em algum líquido, vai afetar o quão potente você precisa que a mistura seja

Use o seu blend 

Há diversas formas de utilizar os blends de temperos. As mais óbvias são em carnes ou vegetais grelhados. Eles também podem aprimorar uma sopa ou guisado. Você pode misturá-los em azeite para criar uma marinada ou homus, incorporá-los em saladas, jogar algumas colheres em ovos mexidos, ou fazer uma manteiga aromatizada. Basta ser criativo e sair da sua zona de conforto.”

Quem cozinha, vez ou outra se depara com termos culinários desconhecidos e que muitas vezes gera curiosidade. Certamente, o tempero masala é um deles! Mas, afinal, você sabe do que se trata e como pode aproveitá-lo no seu dia a dia? O post de hoje tem o objetivo de desvendar o significado do termo, as características desse tempero e seus benefícios. Confira a seguir!

O que é o tempero masala

Também conhecido como Garam Masala, esse tempero co​​nsiste em um mix de especiarias moídas, bastante usado na culinária indiana e em alguns países do sul da Ásia. Não existe uma receita única para prepará-lo. Os ingredientes costumam variar de uma região para outra, assim como de cozinheiro para cozinheiro.

Os ingredientes mais usados para preparar o tempero masala

Várias são as especiarias que compõem esse mix. Geralmente, os ingredientes são usados secos, torrados e moídos. No entanto, existem algumas versões nos quais eles são utilizados inteiros, a fim de aromatizar os pratos.

Entre as especiarias mais usadas no tempero masala estão: cravo, canela, grãos de pimenta branca e/ou preta, cominho, louro, sementes de coentro, anis, gengibre, cominho e cardamomo. Em alguns locais, acrescenta-se cebola, alho, vinagre e água.

Conheça os benefícios do tempero masala

Os indianos acreditam que um dos segredos para se comer pouco é misturar sabores, como: doce, amargo, ácido e picante em uma única refeição. Segundo a Medicina Ayurveda, ao combinar os paladares, a digestão é beneficiada, os componentes são absorvidos de forma mais eficiente, há maior queima de gordura e o organismo fica mais apto para eliminar as toxinas. Dessa forma, o corpo e a mente estarão purificados!

Como aproveitar o tempero masala no dia a dia

O composto pode ser usado em marinadas e em molhos de saladas. Também é bastante utilizado em ensopados, sopas e em sauté de legumes. Muitos cozinheiros acrescentam o masala para temperar carnes vermelhas, aves e peixes, antes deles serem assados ou grelhados. Utilize sempre uma colher de chá (5 g).

Como preparar o tempero masala

O modo de preparar esse mix é muito simples. O primeiro passo é selecionar as especiarias. Em seguida, os ingredientes são salteados em uma frigideira. Então, basta moer a mistura até formar um pó fino. Na hora de acondicionar o tempero, utilize um recipiente seco e mantenha-o longe da luz e da umidade.

Receita de tempero masala

1 pau de canela;
2 colheres (sopa) de semente de cardamomo;
2 colheres (sopa) de semente de cominho;
2 colheres (sopa) de semente de coentro;
2 colheres (sopa) de semente  de coentro;
2 colheres (sopa) de pimenta preta [opcional];
1 colher (chá) de cravo;
3 anises-estrelados;
1 colher (chá) de noz-moscada;
5 folhas de louro;
15 g de gengibre seco;
10 g semente de noz-moscada;
1 colher (chá) de açafrão.

Modo de fazer
Em uma frigideira, coloque a canela quebrada em pedaços pequenos, as sementes (menos a noz-moscada), a pimenta, o cravo, o anis, as folhas de louro e o gengibre. Em seguida, salteie as especiarias até o aroma subir. Retire do fogo. Coloque o preparado em um processador e moa até se tornar um pó fino. Por fim adicione a noz-moscada e o açafrão.
 
Neste artigo, portanto, você conheceu com maior profundidade vários detalhes sobre o tempero masala e o modo de como fazê-lo em casa. 

E aí, gostou desse texto sobre o tempero masala? Para ler mais artigos como este, basta seguir as nossas páginas nas redes sociais!

Eu sou a Gabi ? Sou arquiteta urbanista e metida a cozinheira! Desde que resolvi entrar no mundo do esporte, mudei minha alimentação e, consequentemente, meu olhar sobre o mundo e sobre o meu corpo. Hoje sou maratonista, me locomovo principalmente de bike, não consumo carne há três anos, intolerante à lactose, e vivo inventando moda na cozinha, onde aprendo muito todo dia ❤

Pin It on Pinterest

Share This