Esse nunca foi um post que eu pensei em escrever aqui. Até porque minha amiga Flavia, do Lactose Não, fala lindamente sobre o assunto. Acontece que, desde que descobrimos o câncer da minha mãe, eu vejo muitas e muitas dúvidas relacionadas ao consumo de lácteos e, só hoje, vi 3 bate-papos cheio de coisas malucas no facebook hahaha Então resolvi escrever um pouco do que eu sei sobre o assunto por aqui 🙂 Espero que esse post chegue à quem precisa ♥

O QUE É A INTOLERÂNCIA Á LACTOSE?

Começando do começo, é preciso saber a diferença entre intolerância à lactose e alergia à proteína do leite.  A intolerância à lactose é a dificuldade do organismo em digerir e absorver o açúcar do leite – a lactose. Essa dificuldade acontece porque, com o tempo, nosso intestino vai parando de produzir lactase, a enzima responsável por digerir a lactose (e transformá-la em glicose e galactose). 

Pode ser uma consequência, às vezes temporária, em casos de diarreia prolongada ou doenças inflamatórias intestinais, mas pode ser uma condição permanente. A ocorrência é mais comum entre adultos e idosos do que em crianças, mas pode acontecer nos pequenos também, então é importante ficar atento! Os sinais geralmente são diarreia, cólicas, gases, distensão abdominal (barriga estufada), e eu ficava muito inchada por completo, rolava umas dores de cabeça e, segundo a nutri que me atendia na época em que eu descobri, algumas deficiências de nutrientes e vitaminas podem ser decorrentes de intolerâncias e alergias também. Por exemplo, eu sempre sofri com anemias e baixa ferritina, mesmo quando ainda comia carne, e ela me explicou que, por causa da intolerância, meu intestino estava sempre “agredido”, muito provavelmente com a flora intestinal desequilibrada, e meu organismo não conseguia absorver os nutrientes corretamente. Veja bem que uma “simples intolerância” pode desencadear problemas mais sérios a longo prazo. Ah, e os “desconfortos” podem aparecer em minutos ou até horas depois da ingestão do leite ou derivado lácteo (iogurte, queijos, etc). Observe-se!

Se você se identificou com algum desses sintomas, minha dica é procurar uma nutri funcional e/ou um médico bacana pra começar a observar seu organismo e até mesmo pra fazer o teste de intolerância, caso precise – eu fiz, foi sofrido, mas pelo menos as dúvidas acabaram! 🙂

SOU INTOLERANTE À LACTOSE, E AGORA?

Quando eu descobri, já era vegetariana a 2 anos. Meu primeiro pensamento foi: MEU DEUS, O QUE VAI SER DA MINHA VIDA? hahaha Eu juro que rolou um desespero tenso. Eu amava iogurte, as vezes tomava café da manhã e jantava iogurte 😛 os queijos então, nem se fale, né? Sou mineira, nasci desfiando queijo de nozinho! hahahaha mas não se desespere. O mundo não acabou! Na verdade, está só abrindo novas portas pra você ♥ À partir daqui vou colocar minhas impressões e opiniões sobre tudo o que li, aprendi e vivenciei de lá pra cá, ok?

Pesquise bastante! – Ler, perguntar e se informar é a melhor forma de obter bagagem suficiente pra tomar suas próprias decisões. Assim você fica ciente das consequências que pode ter que lidar a partir dessas escolhas. Aqui na parte de pesquisa, também vale ressaltar que você pode dar uma olhada na infinidade de produtos, blogs e sites com receitas veganas e sem lactose que existem por aí 🙂

Se você quiser continuar consumindo derivados lácteos, a industria já inventou sachês e capsulas de enzima lactase que você pode tomar antes de consumi-los que, na maioria das vezes, funcionam bem e você não vai ter nenhum desconforto proveniente da intolerância. Outra dica é que produtos lácteos fermentados tem menos lactose! Inclusive, queijos de longa fermentação, como parmesão e gorgonzola (de boa qualidade), não tem lactose naturalmente. A dica é olhar o rótulo: 0g de carboidrato = 0 lactose. Mas eu sou da opinião de que: se seu corpo tá pedindo pra parar, pra quê insistir? 

SE AME MAIS QUE IOGURTE!

Senta que lá vem textão 😛 hahaha Pra começar, produtos e receitas rotulados veganos e/ou sem lactose, não significam necessariamente que são produtos e receitas saudáveis. Entenda que alimentar-se é um ato muito íntimo! Tudo que você come passa por todas as células do seu corpo, moldando quem você é. 

A ingestão de produtos “intoxicantes”, como o leite, vão desencadear processos inflamatórios no seu organismo e influenciar diretamente seu sistema imunológico, hormonal, e até na sua produtividade e felicidade. SIMMM, na sua felicidade também! 90% da nossa serotonina (hormônio da felicidade) é produzida no intestino. Então minha gente, sendo bem clara: cocô bonito = felicidade! hahaha Se você agredir seu intestino com alimentos “ruins”, vai interferir diretamente na produção de serotonina, e aí você vai acabar procurando essa felicidade em mais alimentos “ruins” e isso vai virar um ciclo sem fim, muitas vezes ligado à depressão e compulsão alimentar.

Outro ponto importante relacionado à ingestão de leite é que ele foi feito para alimentar um bebê! Portanto é rico num componente chamado de IGF-1. O IGF-1 é um “fator de crescimento semelhante à insulina de tipo 1 e promove o crescimento dos tecidos desde a gestação até à infância, além de ter alguns efeitos anabolizantes (constituição corporal) na idade adulta.” No nosso organismo, ele não seleciona as células que vai desenvolver e pode fomentar o crescimento do câncer. :/ Leia mais sobre esse assunto aqui. Além disso, a qualidade do leite que disponível no mercado hoje é muuuito ruim! Cheio de antibióticos injetados nos animais por causa das mastites – infecções causadas por machucados nos uberes que nunca tem tempo de sarar naturalmente. Inclusive, é por isso que por lei, é permitido ter pus e sangue no leite de caixinha. E isso é só uma pontinha da crueldade envolvida na indústria do leite, que não vou me aprofundar muito porque o foco aqui é outro, mas vale sinalizar! 😉

Eu poderia continuar aqui por muito tempo, mas acho que minha opinião sobre o consumo do leite, de forma bem resumida, é essa! 
Muitas das intolerâncias e alergias alimentares, quando não “respeitadas” podem desencadear em complicações mais graves no sistema imunológico, hormonal ou levar até ao câncer de intestino! 
Mas só pra uma reflexão: o leite faz mal de tantas formas… Será que você precisa mesmo dele? No meu caso, a intolerância à lactose me levou ao veganismo, e abriu um leque de sabores e consciência alimentar absurdamente linda ♥ A natureza é completa e perfeita, e pra mim, além da questão da sustentabilidade (que podemos conversar mais se vocês quiserem), da questão da saúde e da causa animal, tem toda a questão energética que também conta muito pra mim! Você sabia que os animais têm chakras assim como nós? (Dá uma olhada aqui) E já parou pra pensar que toda reação química (descargas hormonais, inclusive) e energética decorrente do stress que eles vivenciam, a gente acaba ingerindo através do leite e da carne? Eu resolvi me livrar disso tudo, e digo com muita alegria e leveza: não tenho dúvidas que fiz a melhor escolha!
E além do mais: você tomaria leite de cachorro? De porco? Então pra quê tomar de vaca? 😂 

Se tiverem mais dúvidas ou sugestões sobre o que poderia ser abordado aqui, deixe aí nos comentários pra mim! Vai ser um prazer falar sobre ♥ Deixem um feedback preu saber se vocês gostaram, assim posso continuar gerando conteúdo do interesse de vocês! 🙂

NÃO PASSE VONTADE

Aqui tem receita pra todos os gostos! 🙂  Todas as receitas do blog são veganas, então, intolerantes, vocês são muito bem vindos! Dá uma olhada em algumas que podem ser um bom começo pra você deixar de vez os lácteos de lado:

—————

REFERÊNCIAS

  • www.alergiaaoleitedevaca.com.br/intolerancia-ou-alergia
  • www.projetosafira.wordpress.com/2013/01/04/qual-a-relacao-entre-a-hormona-igf-1-proteina-animal-dietas-vegan-e-o-cancro/
  • www.saude.abril.com.br/mente-saudavel/a-incrivel-conexao-cerebro-intestino/
Eu sou a Gabi ? Sou arquiteta urbanista e metida a cozinheira! Desde que resolvi entrar no mundo do esporte, mudei minha alimentação e, consequentemente, meu olhar sobre o mundo e sobre o meu corpo. Hoje sou maratonista, me locomovo principalmente de bike, não consumo carne há três anos, intolerante à lactose, e vivo inventando moda na cozinha, onde aprendo muito todo dia ❤

Pin It on Pinterest

Share This